quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Doação de orgãos, Doar ou não doar?!


Óh duvida cruel...
Em tempos remotos eu diria: "Por que não?? Vai fazer oque com o corpo? Dar pra terra comer??"
Mas tenho uma ligeira lembrança de uma discução que tive anos atraz com alguém sobre o pouco esforço dos médicos em salvar doadores... Basicamente a discução era: "Se eu sou doador os medicos não farão o mesmo esforço para me salvar pois os orgão precisam estar "vivos"". (ou seja o coração precisa ainda estar batendo para a doaçao da maioria dos orgãos, a morte tem q ser primeiramente encefalica e a retirada do coração, pulmão, fígado e pandreas tem q ser entre essas duas etapas) Ou seja: o tempo de transplante é mto curto (Por ex: coração e pulmão de 4 a 6hs, após a retirada)
Bom eu sei la se existe uma possibilidade de vida após a morte encefálica e se o esforço é realmente menor... mas a duvida fica no ar... e o pensamento de que existem pessoas más e/ou desesperadas por toda a parte e q o dinheiro pode comprar td... e que se for meu filho o doador, mas e se for ele o que precisa da doação??  ...enfim... a neurose toma conta e fico descontrol!
E por isso esse assunto me vem a tona, acabei de receber a carteirinha de saúde do Luar e junto com ela uma etiqueta pra colar se eu concordar em torna-lo um doador menor de 14 anos.
Meu marido não colou na dele e~ele não sabe me responder pq, e eu ainda não tenho a minha (não sei oq farei qndo a tiver...)

Enlouquecidamente penso: COLAR OU NÃO COLAR???
Será que espero ele crescer pra descidir?? Mas e ai? e as outras crianças? e se fosse ele???

E a dúvida fica no ar....

Nenhum comentário:

Postar um comentário